| Nossos amigos no intestino |

Todo mundo sabe que a nossa barriga esconde um ecossistema incrível onde bactérias vivem e trabalham a favor da nossa saúde.  Estima-se que o intestino humano abrigue até 36 mil espécies de microorganismos, mas nem todos são benéficos ao nosso corpo.
Existem aquelas que se voltam contra o organismo quando estamos debilitados, prejudicando a absorção dos nutrientes. Para combater esses agentes maléficos temos os Probióticos que tem como função colonizar e proteger a parede intestinal dos ataques de fungos e protozoários.

Esse grande grupo de microorganismos vivos é chamado de microbiota e chega ao nosso organismo através da alimentação. Começamos a aumentar esse “exército” bem cedo, com a ajuda do leite materno, que fornece prebióticos -  fibras não-digeríveis para alimentar essas bactérias amigas.

Já deu para entender porque é tão importante manter a microbiota saudável, não?
Além da defesa contra agentes patogênicos, os probióticos são essenciais na síntese de vitaminas do complexo B e vitamina K, ajudam na produção de antibióticos e antifúngicos, estimulam os movimentos peristálticos evitando a constipação e ainda auxilia na metabolização de alguns medicamentos.

É por isso que hoje se fala muito em alimentos probióticos como leites fermentados, iogurtes, sachês e capsúlas com a finalidade de levar ao intestino um “reforço”. Mas a jornada desse microorganismo vivo não é nada fácil. Inicia pela boca, atravessa o esôfago, enfrenta o pH ácido do estômago para só aí chegar a seu destino.

Mas isso ao é tudo. Mantê-los vivos ali é outra tarefa importante que requer o consumo das fibras contidas nas frutas, verduras e cereais integrais – os prebióticos que estimulam o crescimento e a manutenção da microbiota.
Estudos indicam que evitar o álcool, o cigarro e se livrar do sedentarismo também auxiliam nessa tarefa.

O uso indiscriminado de antibióticos e até tratamentos como a quimioterapia contribui para arruinar esse sistema. Laxantes e a lavagens intestinais para emagrecer também são nocivos. E embora não se saiba bem qual é a relação, o estresse provoca uma bagunça no intestino.


Manter a microbiota equilibrada é um desafio que merece estudos constantes. Esse processo é chamado de simbiose e é conquistado quando há bactérias boas e ruins em quantidades semelhantes.

A disbiose (a presença em maior quantidade de bactérias nocivas do que benéficas) leva a lesões na mucosa intestinal, e pode desencadear um processo alérgico, até mesmo a asma, como comprovado por um estudo em Harvard conduzido pelo microbiologista Dennis Kasper.

Causada muitas vezes por processos de alergia alimentar, a disbiose pode ser controlada com o afastamento do alimento e tratamentos adequados para evitar a sensibilização dos leucócitos na tentativa de recuperar a mucosa intestinal.

Por tudo isso, a intolerância e a sensibilidade a alguns alimentos também merecem destaque... mas isso é outra história!
O importante aqui é reconhecer a importância de se manter a microbiota equilibrada, que vai muito além do funcionamento intestinal adequado evitando constipação, dor abdominal, flatulência e diarreia.

Só dessa forma é possível preservar as funções do sistema imunológico e a produção de vitaminas satisfatória, garantindo a saúde do organismo. 

Leia mais...
    

| Liberte seus cabelos no verão |

A gente cuida dos cabelos o ano todo.
Corta a cada três meses para que ele esteja sempre saudável, evitando as pontas duplas e a quebra, não prende os fios molhados, faz hidratação frequentemente, não usa elásticos e sim prendedores revestidos ... tudo isso para ter um cabelo comprido saudável. Nada mais justo que exibir todo o esforço.
E vamos combinar que cabelos longos são um ícone de sensualidade e combinam em tudo com a estação mais quente do ano, exceto pelo calor que provocam!!!

Com o sol forte inicia-se uma nova batalha para manter os cabelos saudáveis e bonitos.
Em curto prazo, a exposição aos raios UVA e UVB danifica a superfície do fio, o que causa as pontas duplas e a dificuldade em pentear. Mas em longo prazo os danos são maiores, destruindo as camadas mais profundas do fio, o córtex e a medula, o que na prática significa cabelos quebradiços, sem movimento, opacos, sem elasticidade e pouco resistentes.
E se você tem cabelos tingidos, os raios ultravioletas oxidam a melanina (pigmento que dá cor aos fios), alterando a coloração. Nos naturais, de cor clara, causam o efeito amarelado, principalmente nos fios brancos.
Isso sem falar que o cloro e o sal do mar oxidam os fios.

Para fugir de todos esses problemas, a recomendação de profissionais é o uso de proteção severa.  Além de lenços e chapéus, que garantem o charme da produção de praia, hoje temos a tecnologia a nosso favor oferecendo linhas especiais de produtos para a estação, com protetor solar e vitaminas.
Esses produtos com proteção e ativos especiais, previnem contra a ação do sol, mas nem todos evitam os efeitos do cloro, do sal e dos ventos.
Por isso, além de investir nas novas linhas de xampus, condicionadores, máscaras e leave-in, mais alguns cuidados simples são necessários para atravessar a estação com os fios soltos e brilhantes!


Faça do leave-in seu amigo constante!
Sempre que lavar os cabelos aplique o leave-in, pois ele tem a função de criar uma película protetora nos fios.
Para cabelos oleosos a versão líquida é a indicada. Já para cabelos secos, o ideal são os cremes. Quem tem cabelo misto pode usar o creme, mas longe das raízes e para cabelos muito finos há a versão em spray. Escolha o indicado para seu tipo com proteção solar e leve sempre com você!
Leia no rótulo as orientações do fabricante. È importante que o FPS seja adequado ao tempo de exposição ao sol e a sua intensidade, além de identificar com que frequência o produto deve ser reaplicado. Isso é diferenciado de marca para marca, mas, comum a todas, é a regra de nunca aplicar nos cabelos muito molhados, correndo o risco do produto não aderir aos fios. O correto é esperar os fios ficarem secos ou úmidos.
Quando sair do mar ou da piscina, lave as madeixas com água doce para retirar o excesso de cloro e sal que podem oxidar os fios. Enxugue com cuidado e aplique novamente o produto na superfície dos fios, a uma distância de dois ou três centímetros do couro cabeludo, para evitar irritação, coceira e descamação.

Programe sua hidratação antes e durante o verão
Se você ainda não fez, arrume tempo na sua agenda para uma hidratação antes que o sol faça mais estragos!
Nessa estação, mais do que em qualquer outra, os fios ficam mais finos, arrepiam e ressecam com mais facilidade e, em função da lavagem constante e da ação do sol, do sal, da areia e do vento, abrem as cutículas tornando-se mais porosos.
Para reverte o problema, durante a temporada de praia, aplicação de máscaras fortalecedoras e hidratantes ricas em aminoácidos e óleos vegetais semanalmente são bem vindas.
Além de hidratar, os óleos podem reduzir o frizz, nutrir e muito mais. Em alta o já popular argan e de ojon, mas vale experimentar também o de macadâmia.
Nos salões você encontra tratamentos de restauração com queratina que também são ótimas opções.

Os fios precisam de água, muita água.
Esqueça a lenda de que lavagem diária faz os fios caírem. Isso é bobagem quando a gordura excessiva no couro cabelo prejudica a transpiração. Isso sim gera a queda!
Converse com seu dermatologista sobre isso antes de estabelecer sua rotina no verão.

Utilize água morna, nunca quente, para aplicar o xampu indicado para o seu tipo de cabelo em pouca quantidade, na raiz massageando suavemente da até as pontas, sem força. É aconselhável dividir os cabelos em duas partes quando muito compridos. Isso facilita a remoção das impurezas.
Depois de enxaguar bem, reaplique se sentir que o cabelo ainda está oleoso ou sujo.
É aconselhável usar xampu anti resíduos uma vez por semana, o que auxilia na remoção do excesso de cloro e sal.

Retire o excesso de água e divida o cabelo em quatro partes para aplicar o condicionador no comprimento e nas pontas dos fios, nunca no couro cabeludo. Massageia bem, desembarace os fios com a ajuda dos dedos delicadamente para não quebrar ou arrancar fios.
Use o condicionar de uma a três vezes na semana, alternados os outros dias com uma máscara aplicada da mesma maneira.
Deixe o cabelo hidratar por alguns minutos e enxague muito para evitar o acúmulo de resíduos, o que pode gerar caspas e deixar o cabelo com aspecto murcho.
Nessa hora dê preferência a água fria, que ajuda a fechar as escamas dos fios e potencializar o brilho.

Há quem diga que aplicar um pouco de vinagre branco de maça nessa hora ajuda a controlar o pH. Eu particularmente, não encontrei nenhuma informação sobre isso com profissionais.


Secar os cabelos requer atenção!

Após o banho, seque as mechas numa toalha, mecha por mecha, pressionando levemente. Evite torcer ou espremer os cabelos.
Use os cremes para pentear ainda nos cabelos úmidos para desembaraçar, proteger os fios das agressões do dia a dia e controlar o volume. Esses produtos não precisam de enxágue.

Dê preferência ao pente largo de madeira o que evita a quebra. E nada de puxar os fios... comece pelas pontas e vá subindo devagar.
Ah, só mais uma coisa, NUNCA prenda o cabelo molhado para não parti-lo!

Se você não vive sem secador ou não pode ficar com os cabelos molhados por muito tempo, é recomendável aplicar antes um produto termoativado nos fios ainda úmidos. Quando aquecidos, eles liberam princípios ativos que formam uma barreira de proteção às altas temperaturas que provocam o ressecamento, além de roubar o brilho, a maciez e o movimento dos fios.
Procure usar o secador com temperatura moderada a uma distância de aproximadamente 30 cm da cabeça. Para finalizar, jogue um jato frio nos fios com o secador. Ele fecha as escamas e aumenta a duração do penteado.
E nunca faça chapinha com os cabelos úmidos para não danificar os cabelos.

Depois é aplicar um leave-in para que ele fique hidratado e protegido.

Leia mais...
 

| Férias...e as minhas plantas!?!|

As férias das crianças chegaram... o verão está aí... e como planejar sua viagem se na última reforma você abriu espaço para as plantas em casa?
Se você tem vizinhos especiais, ou até mesmo familiares com disposição!, pode ser a melhor opção. Mas pedir esse favor nem sempre é possível.
Então, vamos a algumas dicas que podem garantir a sobrevivência das plantas mais sensíveis

Não é tarefa fácil manter as folhas e flores vivas quando não há ninguém em casa para cuidar delas.  As plantas mais delicadas com certeza vão sentir a sua ausência, mas com alguns ajustes, tudo é possível!


Se seu vaso não for da família das suculentas ou das cactáceas que aguentam longos períodos de estiagem, é melhor procurar um lugar longe do sol, evitando que elas sintam a ausência de água. Retire os vasos da varanda, mas não deixe que eles fiquem sem luminosidade.
Deixe as plantas internas próximas a janelas ou locais com incidência de luz.
Para realizar fotossíntese e este processo necessita de luz. Portanto, nada de colocar seus vasos em um quarto escuro. Elas vão enfraquecer e você corre o risco de encontrá-las sem vida quando regressar.

Outra questão que merece toda a atenção diz respeito à rega.
Se você for ficar fora por poucos dias a opção de colocar o vaso sobre um pratinho com água e um pouco de borra de café (para evitar a proliferação do mosquito da dengue) é uma opção. Desta forma, a planta irá absorver a água quando o substrato secar.
Agora, se o tempo for mais longo, procure no mercado os gotejadores - com timer para quem gosta de tecnologia. Esse equipamento ligado a uma torneira será acionado segundo dias e horários programados.


Para quem gosta de reciclagem, que tal usar um método caseiro?
Enterre a ponta de um cordão de algodão em cada vaso e, a outra ponta em uma garrafa com água em abundância (se o período for longo, vale acrescentar pedras de gelo que irão se desmanchar com o tempo). Com este método, as plantas irão absorvendo a água quando estiverem secas.
Outra opção é fazer um furo na tampa de uma garrafa pet cheia de água, nem muito grande nem muito pequeno, e depois enterrar a garrafa de cabeça para baixo no vaso. Mas é preciso furar a parte de cima da garrafa também, para tirar a pressão. A terra não permitirá que a água saia toda de uma vez, deixando sua planta úmida.

E para quem não tem muita habilidade mas quer ficar em paz com o meio ambiente, que tal rosquear o PetGotta em uma garrafa pet?
Ele é um bico gotejador que tem uma torneirinha com um registro que permite regular a saída de água. Assim, quanto maior a planta e o vaso, maior você deixa a abertura do registro.

É importante que antes de sair de casa despreocupada, deixando suas plantinhas bem cuidadas, para aproveitar  o tempo para você!

Leia mais...
 

| Quando as enxaquecas começam na mesa |

Sabe aquela dorzinha de cabeça que aparece no fim do dia ou logo depois do almoço, causando desanimo e mal estar que a gente rapidamente associa a algum aborrecimento ou ao cansaço do dia? Muitas pessoas passam por isso diariamente e convivem com a rotina da dor!

Segundo a Organização Mundial de Saúde, 90% das pessoas sofrem ou já sofreram com dores crônicas e intensas causada por estresse, falta de sono, ansiedade ou alergias. São mais de 200 tipos diferentes de dor de cabeça gerada por uma infinidade de fatores, inclusive a alimentação. 
E quando esse é o fator determinante, aparecem enjoos, sensação de peso na cabeça, irritabilidade e perda de apetite levando a pessoa a pular refeições e a fazer jejuns prolongados, o que só pioram o problema. O risco da hipoglicemia nesses casos é grande e a queda dos níveis de açúcar no sangue estimula a liberação de adrenalina, que provoca a vasoconstrição.

É provável que ao vasculhar a sua dieta você encontre algumas relações entre os episódios de dor e os alimentos consumidos. Isso porque uma refeição pode desencadear o problema ou mesmo agravar em quem já apresente  

Mas não pense que há uma fórmula mágica para descobrir o que faz mal. É uma questão personalizada, sendo que cada um apresenta reações diferentes. Nem sempre o alimento que deflagra a crise para um é o mesmo que causa a dor em outro. Não há como generalizar, mas algumas substâncias são bem conhecidas e vale a pena prestar atenção a elas se você está sofrendo constantemente desse mal.





É bom ficar claro que pessoas suscetíveis a enxaquecas sofrem com mais facilidade essa interferência alimentar que oscila dependendo da quantidade do alimento ingerido, do intervalo do consumo e do tempo de digestão. 

Se você costuma ter dores de cabeça com frequência procure um médico para uma análise minuciosa. Se elas persistem por mais de três meses é motivo de atenção!
Quando acontece por 15 dias no mês, com duração de mais de quatro horas, a Sociedade Brasileira de Cefaléia alerta que você pode estar sofrendo de enxaqueca crônica ou migrânea crônica, uma complicação da enxaqueca episódica que atinge aproximadamente 2% da população mundial. E tem nas mulheres seu principal alvo.

Leia mais...

|Traga o branco para dentro de casa|

O ano está começando e esta é uma boa época para encher a casa de paz e esperança. E de branco!
A conhecida "cor da luz" reflete para o ambiente boas vibrações e nada melhor que unir a isso a beleza e a energia das flores. Aproveite esse mês e espalhe vasos com flores brancas pela casa que você mesma pode preparar, mesmo que não esteja familiarizada com a criação de arranjos floreais.

Procure por flores brancas, três a quatro tipos diferentes para formar um arranjo monocromático mas com movimento. Um lindo vaso,  ráfia para amarrar e folhas verdes para finalizar. Um único arranjo no centro da sala pode deixar sua casa mais bonita e espalhar energia!

Entre as flores você pode utilizar boca-de-leão, antúrio, minimargaridas, rosas e cravos.  A folha costela de adão é bem vinda nesse tipo de arranjo para envolver as flores.

Comece limpando os galos abaixo do ponto onde o arranjo será amarrado. Não deve ficar nenhuma folha, principalmente em contato com a água.

Crie certa ordem para as flores que você escolheu, posicionando em espiral começando pelo centro. Vá encaixando o caule em volta das flores como se fosse formar um círculo, fazendo com que eles se cruzem.
Cuidado para não colocar flores iguais uma do lado das outra, para que o arranjo fique leve e harmonioso. E atenção também aos galhos, que não devem ficar paralelos para o arranjo não desmontar na hora que você for amarrar.

Amarre com ráfia esse buquê e dê várias voltas para que fique firme. Coloque mais algumas flores abaixo das primeiras formando um efeito de camadas, cobrindo o caule que ficara para fora no vaso.

Por fim, acomode ao redor as folhas verdes para finalizar o arranjo e fique atenta para que elas não cubram as flores, mantendo o efeito de espiral.
Corte os caules na diagonal se for preciso para facilitar a absorção da água e coloque cuidadosamente dentro do vaso.
Certifique-se de que todos os caules estão em contato com a água e mantenha o arranjo em local com boa luminosidade e fora do alcance da luz solar direta.

Abaixo algumas fotos para ajudar você nesse desafio!


 

 

Leia mais...
    

| Como se livrar dos efeitos do álcool|

Muito bem, você não resistiu às tentações e abusou no consumo de bebidas nas festas de fim de ano? Então o assunto de hoje é com você!
Se você não se preveniu evitando os excessos, agora é hora de correr atrás do prejuízo!

Pra começar, é preciso entender esse processo de ressaca em seu corpo.
Quando ingerimos álcool, o glicogênio – uma reserva de energia armazenada no fígado e nos músculos - é transformado em glicose e logo depois é eliminado do corpo pela urina.
É essa reação química no organismo que causa uma sucessão de sintomas da ressaca.

Logo de cara já podemos identifica as inúmeras idas ao banheiro! Como as bebidas alcoólicas são diuréticas causam uma grande perda de água. Aí, o corpo precisa se reidratar roubando água do cérebro, que acaba ficando um pouco menor do que o normal. As membranas que ligam o cérebro ao crânio são esticadas e assim surge a dor. Beba muita água para permitir que o cérebro volte a trabalhar da maneira correta.

O problema de urinar tantas vezes é que com isso, os nutrientes do corpo são eliminados também, principalmente o potássio, o que pode gerar problemas no sistema nervoso e muscular. Assim, ingerir bananas, batatas chips e suco de laranja podem ser uma ótima ideia.

Por essa mesma razão, o sódio é eliminado do corpo. E mesmo que ele seja um vilão quando consumido em excesso, é necessário para algumas reações químicas do corpo. Por isso, se você acordou de ressaca está na hora de comer alguma coisa com sal. Mas nada de abusos!
Os isotônicos também são uma indicação, mas a água de coco é bem melhor!


Faça uma alimentação leve, à base de legumes e verduras frescas e sem condimentos.
Quando é preciso liberar o etanol ou acetaldeíco do corpo (a toxina gerada pela reação do álcool no organismo humano), responsável pelas dores de cabeça, náuseas e tonturas, nada é  melhor que cisteína, um aminoácido encontrado em ovos, brócolis, pimenta, cebolas e gérmen de trigo. Sozinho, é capaz de eliminar boa parte do acetaldeído, acelerando o processo da cura da ressaca.

A sensação de cansaço é inevitável!
Por isso, repousar é fundamental! Escolha um ambiente agradável, fresco e arejado.
Consumir frutose (o açúcar das frutas) acelera o processamento do álcool pelo corpo.  As frutas são muito importantes nessa hora.
Use roupas confortáveis e nada de fazer exercícios ou esforços exagerados.

E cuidado para não cometer os mesmos erros, porque as férias estão só começando! 

Leia mais...
 

| A tradição da lentilha renovada |

Cada um tem seu ritual quando chega a passagem do ano.
Independente da religião, todos temos hábitos que não deixamos passar, pequenas simpatias que vão desde a cor da roupa aos pratos que compõem a ceia.

E uma das mais populares é consumir lentilha na primeira refeição do dia 1º de janeiro, logo após a meia-noite.Diz a lenda que desses grãos de influencia árabe vem a fartura e a riqueza para o ano que se inicia, garantindo dinheiro no bolso nos próximos 365 dias.

Trazidas pelos portugueses para a culinária brasileira, além de superstições, seus valores nutricionais merecem destaque.
Possuem mais proteínas que o feijão, auxiliando na manutenção da massa muscular, na defesa do organismo e aumentando o metabolismo.
               
É rica em nutrientes e apresentam boa quantidade de carboidratos considerados bons pra saúde – os tais carboidratos complexos que mantém o nível de glicose bem baixo evitando que virem logo gordura.

Falando em diminuir a glicose, a lentinha ajuda nesse processo porque tem muitas fibras, e ainda dá uma forcinha para manter baixo os níveis de colesterol . Isso sem falar que fibra é sinal de saciedade por mais tempo, deixando a todos satisfeitos com menos comida. Você já entendeu que é boa para o cardápio de quem pretende emagrecer também!


E não acabou! Entre seus micronutrientes estão as vitaminas e os minerais, ganhando destaque o selênio para saúde da tireoide, e um trio muito especial, que é a vitamina B6, o magnésio e o triptofano. Eles ajudam a formar a serotonina, um neurotransmissor da calma, do prazer e da saciedade.
Vale registrar ainda a quantidade de ferro como grande aliado no controle da anemia e do cobre, garantindo energia pras células. Para otimizar a absorção do Ferro presente na lentilha, aconselha-se o consumo de alimentos fonte de vitamina C.

Para evitar desconforto na digestão, deixe as lentilhas de molho por oito horas antes de cozinhar bem e procure usar ervas como cebola e louro, que ajuda muito.
Mas nada de excessos porque alguns estudos relacionam seu consumo ao aumento do Ácido Úrico, devido ao elevado teor de purina, principalmente em pessoas com predisposição.